Casos de coronavírus voltam a subir e cuidados precisam ser redobrados

Casos de coronavírus voltam a subir e cuidados precisam ser redobrados

Não-Me-Toque terá mais um carro anestésico a disposição
Idosa de 85 anos é a 15ª vítima da Covid-19 em Não-Me-Toque
Não-Me-Toque registra 19 casos confirmados da COVID-19 e 10 pacientes recuperados

O Brasil passou nesta semana a marca de seis milhões de casos de covid-19, conforme balanço divulgado pelo Ministério da Saúde. O Brasil é o terceiro país em número de casos, conforme o mapa global da universidade norte-americana Johns Hopkins, usado como referência mundial de acompanhamento das estatísticas da pandemia.

No entanto, o crescimento no número de casos que voltou também em Passo Fundo, nos últimos dias. Conforme os dados levantados pela Rádio Uirapuru, somente na última semana Passo Fundo registrou 360 novos casos, em uma média diária de 60 positivados.

Sem Segredo

Por isso o Sem Segredo do último sábado (21) voltou a debater a doença e perguntou: Você acha que a solução está em antecipar a vacinação de forma emergencial?

Conforme a diretora clínica do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), Dra. Jussara Gomez, houve uma redução dos casos e a população relaxou um pouco em relação aos cuidados, fazendo assim com que os casos voltassem a subir.

Outro fator, de acordo com a médica é que as pessoas perderam o medo do coronavírus. No início da pandemia, por se tratar de algo novo, o medo estava presente. Agora, no entanto, as pessoas estão menos preocupadas com a covid-19.

Jussara no entanto faz um alerta: a covid-19 provoca reações diferentes conforme a pessoa, por isso não é possível saber como o organismo vai suportar. Para a médica, é fundamental que os cuidados sigam.

Aumento de casos

Para o diretor do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, Dr. Juarez Dalvesco, os moradores de Passo Fundo devem ficar em alerta, pois há um mês atrás a cidade tinha 117 casos ativos, hoje tem mais de 550. A preocupação dos profissionais de saúde é justamente a imprevisibilidade da evolução da doença em cada indivíduo.

Conforme Dalvesco o distanciamento social não impede as pessoas de viver. É possível sair, trabalhar e fazer as atividades, porém não devemos nos aproximar dos demais, encostar, abraçar e beijar.

Em relação a vacina, o Dr. Juarez Dalvesco afirma que a análise da eficácia dos imunizantes precisa ser emergencial, mas a aplicação só quando houver segurança para isso.

Conforme o diretor da faculdade de medicina da Imed, Dr. Arthur da Rosa Filho, a falta dos cuidados básicos para evitar a disseminação da covid-19 fez com que os casos voltassem a subir.

O médico destaca que ao andar pelas ruas da cidade, a população esqueceu que ainda vivemos uma pandemia. Para o diretor é necessário voltar a discutir medidas restritivas para controlar o vírus na cidade.

 

*Fonte: Uirapuru

Os comentários de terceiros são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

COMENTÁRIOS

Enviar
1
Olá!
Olá!
Gostaria de pedir uma música!
Powered by