Consumidor deve comprar embalagens retornáveis para evitar falta de cerveja

Consumidor deve comprar embalagens retornáveis para evitar falta de cerveja

Semana será de sol e temperaturas altas
Mais de oito mil servidores e comissionados no Rio Grande do Sul não sacaram o abono PASEP de 2014
Mega-Sena acumula e paga R$ 30 milhões na quarta-feira

A pandemia trouxe uma paralisação geral na indústria mundial. Diversas matérias primas ficaram em falta e com isso uma antiga prática comercial está retornando: os cascos retornáveis de bebidas.

Isso porque o plástico e o alumínio, utilizados para fabricar embalagens, está escasso e isso faz com que as empresas foquem no produto retornável, de vidro.

Conforme o diretor da Disfonte, Marco Zandoná, não faltará cerveja para as festas de final de ano, mas sim embalagens de lata. A cadeia produtiva do alumínio não está acompanhando a retomada das indústrias e, assim as latinhas devem ficar em falta no fim do ano.

Isso ocorre porque nesta época, com o calor e as festas, o consumo aumenta, portanto a produção precisa ser maior também.

De acordo com Zandoná a alternativa será o casco retornável, ou seja de vidro. Como a embalagem precisa retornar para ser comercializada novamente, o vidro não registra falta.

Conforme o diretor, a bebida em embalagens retornáveis o valor sai mais em conta. Isso porque a Ambev baixou o valor da cerveja para cascos retornáveis. Se o consumidor colocar no papel o preço da bebida em lata e no vidro e a quantidade de líquido, a cerveja fica mais barata e o cliente pode consumir mais.

O empresário lembra que há pouco tempo a indústria não comercializava bebida em lata eram apenas garrafas. Então agora, com a falta de matéria prima, esse comércio volta  ser incentivado pelas empresas.

 

*Fonte: Uirapuru

Os comentários de terceiros são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

COMENTÁRIOS

Enviar
1
Olá!
Olá!
Gostaria de pedir uma música!
Powered by