Nenhum gaúcho ficou sem leito durante a pandemia, diz Secretaria da Saúde do RS

Nenhum gaúcho ficou sem leito durante a pandemia, diz Secretaria da Saúde do RS

Pórtico de Não-Me-Toque, passará por revitalização e não reforma
Acendimento da Chama Crioula dará inicio aos Festejos Farroupilhas em Não-Me-Toque
Homem sofre tentativa de homicídio em Espumoso

A Secretaria da Saúde do Governo do Rio Grande do Sul informou que nenhum cidadão gaúcho ficou sem leito por falta de de vaga durante à pandemia do novo coronavírus.

A informação consta no relatório de ações e prestação de contas do 2º quadrimestre de 2020 e foi divulgada nesta quarta-feira (7), em em audiência pública por videoconferência pela secretária Arita Bergmann à Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa.

Além disso, a secretária Arita informou que houve até uma folga de leitos, pois o Estado ampliou as vagas de UTI de 933 para 1.882 leitos, um aumento de 102%.

Conforme Arita, de maio a agosto, quando, apesar da alta demanda, nenhum cidadão ficou sem leito por falta de vaga. A secretária informou que houve até uma folga de leitos, pois o Estado ampliou as vagas de UTI de 933 para 1.882 leitos, um aumento de 102%.

Arita listou várias ações, com destaque para a abertura dos hospitais de Guaíba e de Santa Maria, além da UTI no Hospital de Charqueadas. Celebrou, ainda, a abertura de 40 leitos de UTI na Costa Doce, além da ampliação da testagem para Covid-19 e da compra de 230 respiradores. E projetou para o último quadrimestre do ano o desafio de “resgatar o pleno funcionamento das unidades prestadoras de serviço e hospitais, para que a população volte a ser atendida, já que parou de buscar atendimento durante a pandemia”.

Permanência dos leitos

De acordo com a Arita, a SES estuda quais leitos se tornaram permanentes e que atendam pacientes nã0o apenas Covid-19, mas outras enfermidades.

“Estamos identificando quais destes leitos habilitados temporariamente são estratégicos para continuar em funcionamento, que preenchem vazios assistenciais e têm interesse público, e, também, qual será o valor de custeio recebido pelo Ministério da Saúde”, explicou a secretária Arita.

 

*Fonte: Diário

Os comentários de terceiros são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

COMENTÁRIOS

Enviar
1
Olá!
Olá!
Gostaria de pedir uma música!
Powered by