Frequentar festas clandestinas durante a pandemia é atitude de pessoas egoístas e irresponsáveis, diz promotora

Frequentar festas clandestinas durante a pandemia é atitude de pessoas egoístas e irresponsáveis, diz promotora

ACREU convoca associados para Assembléia Geral
Aparelhos celulares apreendidos na penitenciária de Osório serão destinados a estudantes da rede pública
Reforma das Futuras instalações da EMEI Dirce Lúcia Erpen será iniciada

Já são vários finais de semana que Passo Fundo tem sido destaque negativo no país devido a festas e aglomerações de pessoas em plena pandemia. A punição dói no bolso dos organizadores e donos de estabelecimentos. Os participantes recebem multa pelo não uso de máscaras. Mas até quando isso vai persistir? É preciso uma medida mais enérgica para conter tais eventos?

Falando na Uirapuru a promotora de Justiça, Clarissa Ammélia Simões Machado, disse que o descumprimento de normas em tempos de pandemia é crime, previsto no código penal que se enquadra nos crimes de menor potencial ofensivo.

Conforme a promotora, se a pessoa que cometeu o crime tiver bons antecedentes e preenchendo outros requisitos da lei pode fazer uma acordo com a justiça para evitar o processo criminal. No entanto, se ele não tiver direito ao beneficio, o autor será condenado a uma pena de prisão que também poderá ser substituída por prestação de serviço comunitário.
Os comentários de terceiros são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

COMENTÁRIOS

Enviar
1
Olá!
Olá!
Gostaria de pedir uma música!
Powered by