Para psiquiatra mãe do menino Rafael agiu como uma assassina profissional

Para psiquiatra mãe do menino Rafael agiu como uma assassina profissional

Administração de Não-Me-Toque anuncia pagamento da 1ª parcela do 13º Salário
Matriculas das escolas Amália Kerber e Carlos Gomes, acontecem hoje
Aviso de desligamento de energia elétrica para Não-Me-Toque

Em novo depoimento dado à Polícia Civil, na tarde do último sábado (27), Alexandra Dougokeski, 33 anos, mudou a versão que vinha sustentando até então, de que não teve a intenção de matar o filho Rafael Mateus Winques de 11 anos, no município de Planalto. A mãe admitiu que matou o menino com uma corda de varal quando ele estava acordado no quarto devido à desobediência do garoto. A polícia destaca que Alexandra agiu sozinha. O inquérito tem provas o suficiente para indiciá-la por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Mas o que está por trás do comportamento da mãe de Rafael? Falando sobre o assunto na programação da Uirapuru, o psiquiatra Carlos Hecktheuer disse que Alexandra caracteriza-se como uma pessoa impulsiva, ou seja, ela reage sobre impulso e não domina suas reações.Hecktheuer explica que uma vez contrariada ela agride quem quer que seja. Para o psiquiatra, a mãe teve um instinto assassino, pois foi buscar a corda e tomou uma série de providências semelhantes à de um assassino profissional.

Alexandra não tinha nenhum comportamento fora do normal e não esboçava nenhum transtorno psicótico. O que chama atenção é que a mãe passou dez dias concedendo entrevista e pedindo ajuda nas redes sociais para encontrar o menino. Hecktheuer, no entanto, explica que a mãe, até então, não tinha sido forçada a cometer tal atrocidade, mas no momento que ela foi desafiada ela cometeu o crime bárbaro.
Os comentários de terceiros são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

COMENTÁRIOS

Enviar
1
Olá!
Olá!
Gostaria de pedir uma música!
Powered by