Depois de 57 dias, professores suspendem greve já com adesão reduzida

FOTO: Divulgação/Cpers

Depois de 57 dias, professores suspendem greve já com adesão reduzida

Câmara deve decidir hoje futuro político de Eduardo Cunha
JBS concederá férias coletivas para dez unidades de abate de bovinos
Foragido internacional, Eike entra na difusão vermelha da Interpol

O Cpers Sindicato decidiu, na tarde desta terça-feira, suspender a greve da categoria, que chegou hoje ao 57° dia. De acordo com a presidente do sindicato, Helenir Schurer, “a greve foi uma demonstração de que a luta continua”. A votação era individual, com cédula de papel. Os professores favoráveis ao término venceram por 725 votos a 593, em uma assembleia realizada no Colégio Estadual Cândido José de Godói, no bairro Navegantes.

De acordo com Helenir, as aulas poderão ser retomadas normalmente nesta quarta-feira. Entretanto, o Cpers já anunciou nova paralisação para o dia 27, quando pode ser votado, em plenário na Assembleia Legislativa, o projeto que trata do plano de carreira do magistério.

A categoria entrou em greve em 18 de novembro e, desde então, vem travando uma batalha com o governo estadual. Na última reunião, o secretário de Educação Faisal Karam propôs o abono do corte do ponto – mas com posterior novo desconto em folha, dessa vez de forma escalonada. Na prática, os professores garantiam o pagamento pelos dias parados, mas com abatimento nas folhas futuras, de forma parcelada.

O próprio Cpers admite que a greve chegou a apenas 2% de adesão – o que corresponde a cerca de 3 mil professores. O governo garante que a proposta era “decisiva e determinada”, e que se os docentes não voltarem imediatamente, “perderão mais um mês de salário cortado”.

*Ananda Müller - Rádio Guaíba
Os comentários de terceiros são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

COMENTÁRIOS

Enviar
1
Olá!
Olá!
Gostaria de pedir uma música!
Powered by