Polícia Civil quer encerrar em breve caso do desaparecimento de gerente em Anta Gorda

Polícia Civil quer encerrar em breve caso do desaparecimento de gerente em Anta Gorda

Vencedor do RS da Mega-Sena da Virada resgata o prêmio
Rio Grande do Sul registra as duas primeiras mortes por gripe em 2019
RF-4 julga recurso de Lula no caso triplex hoje

A Polícia Civil concluirá em breve o inquérito sobre o desaparecimento do gerente da agência do Sicredi de Anta Gorda, no Vale do Taquari, Jacir Potrich, 55 anos, ocorrido entre o final da tarde e início da noite do dia 13 de novembro do ano passado. Encarregado do caso, o delegado Márcio Marodin revelou nesta quarta-feira que ainda aguarda alguns laudos periciais que serão confrontados com informações obtidas durante o trabalho investigativo iniciado pelo delegado Guilherme Pacífico, atual subsecretário da Integração Institucional da Secretaria de Estado da Segurança Pública do Espírito Santo.

Vizinho da vítima, um dentista, de 52 anos, deve ser indiciado por homicídio qualificado. “Estou convicto da participação dele no crime”, resumiu Márcio Marodin. O homem foi preso no dia 23 de janeiro passado em Capão da Canoa, no Litoral Norte. Encaminhado ao Presídio Estadual de Encantado, ele foi solto no dia 31 do mesmo mês graças a um habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça do Estado. O desembargador Honório Gonçalves da Silva entendeu a prisão como desnecessária pois o dentista não apresentava risco de fuga e nem atrapalhava as investigações. O advogado de defesa Paulo Olímpio Gomes de Souza assegurou na época que não existem provas contra o seu cliente.

O delegado Márcio Marodin lembrou que até o momento o corpo do gerente não foi localizado apesar de várias buscas em vários locais. Jacir Potrich sumiu após retornar de uma pescaria e ter limpado os peixes em um quiosque de uso comum do condomínio residencial em que residia na cidade. O automóvel da vítima ficou estacionado na garagem. As câmeras de segurança do condomínio registraram o gerente chegando, mas não mostram a saída dele depois. Nas investigações, os policiais civis analisaram as imagens do local e descobriram que o dentista subiu no telhado e depois mexeu em duas câmeras de vigilância no pátio do condomínio, usando inclusive um cabo de vassoura para mudar o posicionamento de ambas. Para os agentes, o crime ocorreu a partir da animosidade entre o dentista e o gerente por conta do fim da locação do prédio de propriedade do suspeito por parte do Sicredi, que mudou a agência de endereço na cidade de Anta Gorda.

*Correio do Povo. 

COMENTÁRIOS

Enviar
1
Olá!
Olá!
Gostaria de pedir uma música!
Powered by