Varejo gaúcho regista aumento de 6% nas vendas de Natal em 2018

Varejo gaúcho regista aumento de 6% nas vendas de Natal em 2018

Lula encerra em Curitiba a caravana pela Região Sul do país
Dezembro, o mês da Luta contra a Aids
Problema no programa do Imposto de Renda faz Receita trocar versão

Confirmando as previsões da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), as vendas do varejo gaúcho no Natal 2018 registraram crescimento de 6% na comparação com o último ano. Os dados mostram que houve incremento na comercialização de produtos como smartphones (10%), artigos de vestuário (15%) e artigos de uso pessoal, como perfumes, joias e acessórios, que cresceu 8%. Em média, cada consumidor comprou cinco presentes, com o valor de R$ 120, cada.

 De acordo com o presidente da federação, Vitor Augusto Koch, os que mais receberam mimos foram os filhos dos gaúchos. Em torno de 30%. Em seguida, foram os companheiros, mães, irmãos, pais e sobrinhos. A maioria das compras foi paga à vista, enquanto que as compras parceladas foram feitas para durar, em média, cinco meses, a maioria no cartão de crédito, sem juros, preferencialmente.

 Koch lembra que os parcelamentos significam que o consumidor vai comprometer parte de sua renda com prestações de Natal até a Páscoa de 2019. “Embora ainda vivamos um cenário de lenta recuperação da economia, podemos considerar que o Natal 2018 foi positivo para os lojistas, uma vez que houve disposição consumidores em irem às compras”, afirma. Ele diz que a expectativa é que no próximo ano o aquecimento das vendas seja rotina. “Precisamos avançar no aspecto da recuperação do poder de compra da população o que esperamos que venha a ocorrer em 2019.”

 Segundo a Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, os empresários gaúchos comemoram os resultados da data. O valor investido pelos clientes ficou entre R$ 80 e R$ 90, com destaque para vendas à vista ou em uma vez no crédito. O presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Ricardo Diedrich, destaca a decoração natalina e o envolvimento da comunidade em diferentes regiões do Estado.

 Pelo interior, ele revela que o clima impactou diretamente a saída dos produtos. Chuva constante ou o calorão de alguns dias prejudicaram um pouco o movimento diário, que com a proximidade da data conseguiu retomar as vendas – principalmente aqueles instalados nas ruas, não em ambientes fechados, como centro de compras e shoppings. Segundo depoimentos de lojistas gaúchos, as vendas decolaram mesmo logo após o dia 20 de dezembro com a segunda parcela do décimo terceiro.

*Correio do Povo 
Os comentários de terceiros são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

COMENTÁRIOS

Enviar
1
Olá!
Olá!
Gostaria de pedir uma música!
Powered by